domingo, 27 de abril de 2014

Sem nome



Retroceder para um salto mais avante
Se calar diante do que não sabe
Ouvir as vozes das experiências
E não se calar diante do que se sabe

Queria eu ter o tempo daquela criança
Queria eu ter a sabedoria da dádiva
Queria eu ser a volta de tempo
Que ao longe o futuro nunca se sabe

Hoje sou a linha reta traçada
Sou o silencio dos inocentes
Sou a criança curiosa que espia
Sou a volta do que imagina

De todas dimensões da vida
O imaginário pode ser o seu real
O caminho é traiçoeiro
A vida de cada um será o seu ideal

Fábio Menezes

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Flores

















Hoje acordei vendo tudo bonito
Achando graças nas flores
Vendo o valor das cores
E a beleza da vida

Sai pelo caminho vendo suas formas
Seus gestos alegres em seu balanço
Seu profundo gesto de existir
Mesmo para aqueles que nem as ver

Nessa trajetória de flores
Em descoberta de novidades
Muitas me encontraram
E todas espalhadas

Nem imaginara
O quanto existe coisas belas
Que tanto outro momento
Meus olhos estiveste fechado

Fábio Menezes

sábado, 28 de setembro de 2013

Quem somos nós?





Nós somos o que aprendemos
Nós somos o que eles nunca puderam ser
O falastrão queima a língua com suas palavras
O ambicioso cai no precipício do esquecimento
E a certeza que nos invade é a que nos dar esperança
Do futuro esperado e agraciado.

Temos que abrir os olhos para o Macro
Aquela abelha que suga o mel
As cores das sempre viva
Aranha que prende o inseto para seu sustento
Os vários olhos das moscas
E as infinitas cores das asas das borboletas.

Viemos de uma dádiva divina
Sem certeza nascemos para uma vida
A evolução física nos é dado
Pedaços e cores vão se juntando
Sentidos e formas são criados
E no mundo as dúvidas vão se formando.

Quando pensamos que sabemos tudo
O tudo se desaparece e se perdemos
Os questionamentos nos amedronta
Os passos não segue mais seu rumo
E os desfiladeiro fica mais próximo
A luz que nos cobre apaga

Em meio ao desespero pensamos e lutamos
Traçamos rotas de fugas para nossa salvação
Encontramos a arte em nosso coração
E lá surge a nossa solução
Vivendo entres os privilegiados
Aprendemos que em nossas jornadas
Que nossos caminhos já são traçados.

Fábio Menezes